Pirassununga completa cinco dias em estado de alerta quanto à umidade do ar

Pirassununga, 19 de setembro de 20-17 – Pirassununga sofre, desde a última quinta-feira (14) com os efeitos de forte estiagem. Já são cinco dias que o município está em estado de alerta quanto à umidade relativa do ar. Segundo o Sistema Integrado de Gestão Ambiental – SIGAM, da Cetesb – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo nesta segunda-feira (18) foram 19% de umidade. Os níveis mais baixos do ano até agora foram registrados no final de semana com apenas 13% na sexta-feira (15) e sábado (16).

Neste mês de setembro, foram oito dias no total em que Pirassununga permaneceu na faixa de alerta quanto à umidade do ar. Desde o dia 4 deste mês, o maior nível registrado pelo SIGAM foi de apenas 22% – ainda muito abaixo dos 65% de umidade do ar, considerados aceitáveis para o homem.

Dessa forma, a queima da palha da cana de açúcar no município fica proibida na cidade. Somente quando a umidade for acima de 20% é que a queimada é permitida entre as 6h e 20h. Além de Pirassununga, as cidades de Araras, Leme e Santa Cruz da Conceição estão na mesma situação.

A forte estiagem deixa o ambiente propício para queimadas em terrenos, que podem facilmente fugir do controle. É proibido provocar esse tipo de queimada e passível de autuação ambiental. Com a falta de chuvas, muitas cidades da região já adotam esquema de racionamento como Aguaí e Descalvado.

Com a umidade do ar em níveis menores que 20% é recomendável:
– Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10 e 16 horas
– Evitar aglomerações e lugares fechados
– Usar soro fisiológico nas narinas e lubrificantes nos olhos quando necessário
– Umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água,
– Sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol, em áreas vegetadas
– Consumir água à vontade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *